A vida da gente

Tanta gente que acorda
E outra tanta que adormece
Nas muitas horas de cada dia.
Tanta gente que se encontra
E se volta a encontrar
Em cômpitos sem conta revezados
Para chorarem sozinhos
Para se puderem rir juntos.
Não há física para tudo isto.
 
E aquela outra que se apeia
À porta de muitas casas
Que são de cada qual
E falam de tanta coisa inútil
Numa velha aldeia
Onde toda ela é família.
E não há química para isto
Nem sequer biologia
Ou até mesmo filosofia.
 
E aqueles que caminham
Sem rei nem roque
Para chegarem onde são felizes
Acabando onde tantos outros acabam:
A dormir no leito todas as noites.
Não sabem a razão de ser
E pensam nisso enquanto olham
Com afinco as muitas janelas fechadas.
Porque não há lógica num mundo lógico.
 
E todos aqueles que dão as mãos
E se passeiam por citadinos jardins
E se alienam de tatos outros
Que passam e nem se interessam
Ou censuram sem querer saber.
São aqueles que se beijam
Apenas por sentir como outros tantos
Aquilo que todos acham belo.
Porque não há ciência num mundo sem sentimento.
 
Tanta gente que se senta
Nas bermas das muitas estradas
Por onde vê passar outra tanta
Que vai trilhando as sendas do dia-a-dia
E visitando terras mundo fora.
Sentam-se e sorriem sem razão
A quem acenam sem os conhecer,
Sem lhe saborear o significado inteligente.
Porque não há razão num mundo com sentido.
 
E aqueles muitos solitários
Que vêem todos os outros
Como pensam que eles são.
Conhecem a vida daquilo que são
E não querem mais do que têm.
São aqueles que carecem de um abraço
E de uma palavra amiga
Nem que seja de um apenas.
Porque não há cor na vida sem isto tudo.
 
Tudo isto é vida:
Não tem que ser descritível.
Não tem que ser inteligível.
Não tem que ser significante.
Não tem que ser explicável.
Não tem que ser lógica.
Não tem que ser racional.
A vida é o que é
E para o ser, é suficiente.

Sobre Sérgio O. Marques

Licenciado em Física/Matemática Aplicada (Astronomia) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Mestre em Matemática Aplicada pela mesma instituição, desenvolvo trabalho no PTC (Porto Technical Centre) - Yazaki como Administrador de bases-de-dados. Dentro o meu leque de interesses encontram-se todos os temas afins às disciplinas de Matemática, Física e Astronomia. Porém, como entusiasta, interesso-me por temas relacionados com electrónica, poesia, música e fotografia.
Esta entrada foi publicada em Poemas. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s