Músicas

Na Mesopotâmia antiga, a música, a arte, a religião e a fantasia poética estavam fundidas num só. Os sumérios, por seu turno, desenvolveram, em simultâneo, a escrita cuneiforme e o sistema numérico sexagesimal. Estes, associavam razões musicais primárias a entidades míticas, cujas funções correspondiam aos respectivos números em teoria acústica. Desta forma os sumérios criaram um modelo tonal/aritmético extensivo do cosmos.
Já desse tempo, se pode verificar o carácter universal da música. Há quem afirme que, sendo a ciência concebida como conhecimento e a filosofia o amor pelo saber, então a música terá sido um dos grandes feitos científicos e filosóficos do mundo antigo.

Mais recentemente, tanto o Concelho da Europa como a União Europeia adoptaram, para hino da Europa, um trecho da nona sinfonia de Ludwig van Beethoven cujo quarto andamento musica o poema Ode to Freud (Hino à Alegria) de Friedrich von Schiller. No entanto, o poema não foi oficialmente adoptado uma vez que a música, per se, é uma linguagem universal. O poema expressa uma visão idealista da raça humana onde esta se tornará uma irmandade. Aqui pode-se ler:

Todos os homens se irmanam
Onde pairar teu vôo suave.
A quem a boa sorte tenha favorecido
De ser um amigo de um amigo,
Quem já conquistou uma doce companeira
Rejubile-se connosco!
Sim, também aquele que qpenas uma alma
Possa chamar de sua sobre a Terra.
Mas quem nunca o tenha podido,
Livre de seu pranto esta Aliança.

O compositor Johann Sebastian Bach compôs uma miríade obras musicais entre as quais se contam a famosa Tocata e Fuga para orgão, bem como a Cantata BWV 147 (Coração e Palavra e Escritura e Vida) escrita para o dia da comemoração da visita da Virgem Maria à Santa Elisabete.

Uma outra obra de destaque, esta, composta pelo famoso Wolfgang Amadeus Mozart é o Requiem. Requiem consiste numa missa para defuntos, cuja designação advém da expressão latina Reqiem aeternum, que significa Repouso Eterno.

Comtemporâneo de Bach, George Frideric Handel, compôs o Zadok the Priest, um hino para coroação. Esta obra musical foi arranjada de forma a servir de hino da Liga dos Campeões da UEFA, organizadora de eventos futebolísticos.

O compositor russo Pyotr Ilyich Tchaikovsky elaborou a sua Overture 1812, comemorativa da defesa da Rússia no ano de 1812 face ao avanço do grande exército de Napoleão.

Uma outra composição envidada por Carl Orff permitiu musicar novamente uma série de cânticos escritos por volta de 1230, aos quais lhes foi atribuído o título latino de Carmina Burana.

Pode-se afirmar que a música se encontra presente em todas as áreas da actividade humana.

Sobre Sérgio O. Marques

Licenciado em Física/Matemática Aplicada (Astronomia) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Mestre em Matemática Aplicada pela mesma instituição, desenvolvo trabalho no PTC (Porto Technical Centre) - Yazaki como Administrador de bases-de-dados. Dentro o meu leque de interesses encontram-se todos os temas afins às disciplinas de Matemática, Física e Astronomia. Porém, como entusiasta, interesso-me por temas relacionados com electrónica, poesia, música e fotografia.
Esta entrada foi publicada em Música. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s