Senhores da guerra

São tantos homens de gelo
Juízes e carrascos, dum triste degredo
Mensageiros e portadores do vil flagelo
São pedras tão vazias no reino do medo.
Quem por ali fica caído
Um dia fora filho de alguém.
Pois quem ali jaz esquecido
Já tivera uma mãe.
 
Para um mundo mais belo e melhor
Cheio de paz e alegria
Falta amar, falta amor,
Falta o sol a brilhar em cada dia.
Podemos todos partilhar
Temos tanto para dar
E um riso em cada criança
Traz-nos de novo a esperança.
Há tanto ódio, tanta guerra,
Há tanta morte, tanta fome e tanta miséria
São tão profundas lágrimas, que banham a Terra
Daqueles de quem o sangue alimenta essa fera.
Mas mesmo assim, em cada olhar
Há um raiar da manhã,
Há um sincero acreditar num sorridente amanhã.
 
É tanta a fome de riqueza,
Essa ganância insana que fere a natureza
São só inúteis leis para fomentar a grandeza
No fim nada mais resta para além da pobreza.
E aí, quem mais nada tem,
Será um homem com sorte
Aquele que tenha mais alguém
Que o afague até à morte.

Sobre Sérgio O. Marques

Licenciado em Física/Matemática Aplicada (Astronomia) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Mestre em Matemática Aplicada pela mesma instituição, desenvolvo trabalho no PTC (Porto Technical Centre) - Yazaki como Administrador de bases-de-dados. Dentro o meu leque de interesses encontram-se todos os temas afins às disciplinas de Matemática, Física e Astronomia. Porém, como entusiasta, interesso-me por temas relacionados com electrónica, poesia, música e fotografia.
Esta entrada foi publicada em Poemas. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s