Religião

Crença de quem não pensa,
Consentir-se no que se sente:
A paz, clamor da mente,
Serenidade imensa;
Fervor no desejo de amar,
Trilhando o caminho da felicidade
Num cálido procurar
Incessante da Verdade;
Beber de mãos vazias
Da água pura que alimenta
As nascentese mais luzidias,
A fonte de vida, de amor
Da Palavra que apascenta
Em todo seu esplendor;
Sorriso de quem vem contente
Perdoar alegremente
Entregar-se ao próximo:
Sacrifício máximo.
Religião não é começo ou fim,
É voz de querubim em canção
A saciar o coração.
É ser-se completamente,
Sermo-nos plenamente.

Sobre Sérgio O. Marques

Licenciado em Física/Matemática Aplicada (Astronomia) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Mestre em Matemática Aplicada pela mesma instituição, desenvolvo trabalho no PTC (Porto Technical Centre) - Yazaki como Administrador de bases-de-dados. Dentro o meu leque de interesses encontram-se todos os temas afins às disciplinas de Matemática, Física e Astronomia. Porém, como entusiasta, interesso-me por temas relacionados com electrónica, poesia, música e fotografia.
Esta entrada foi publicada em Poemas. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s