Borboleta azul

Borboleta azul, princesa do meu dormir
Foste-me sonho nos dias de menino,
Lábios finos do sorriso que me fez sorrir,
Alegria do meu viver em pequenino.

Pousaste singela na palma da minha mão.
Trazias o céu nas asas mais lindo
Onde me esqueci. Contava-te numa canção,
Conto mais belo num madrigal infindo

Escrito das palavras que não sei dizer.
Serpeavas-me a frescura de um arroio
De água fresca que não cessa de correr.

Eras-me a graça e foi então que te perdi
Arrolado e à deriva num barco salmoiro.
Lenvantaste voo e nunca mais te vi.

Sobre Sérgio O. Marques

Licenciado em Física/Matemática Aplicada (Astronomia) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Mestre em Matemática Aplicada pela mesma instituição, desenvolvo trabalho no PTC (Porto Technical Centre) - Yazaki como Administrador de bases-de-dados. Dentro o meu leque de interesses encontram-se todos os temas afins às disciplinas de Matemática, Física e Astronomia. Porém, como entusiasta, interesso-me por temas relacionados com electrónica, poesia, música e fotografia.
Esta entrada foi publicada em Poemas. ligação permanente.

2 respostas a Borboleta azul

  1. amelia diz:

    LINDO CONTINUA ASSIM BEIJINHOS

  2. Júlia diz:

    Muito bonito, Sérgio, fiquei encantada. Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s