Aninhado ao teu colo

Aninhei-me no teu peito
Escutando-o palpitar,
O seu bater tão perfeito,
Sabor a mel, meu deleite,
Fragrância do meu amar.
Constante o seu palpitar,
Do teu coração que toa,
Que me adormece e atordoa
No teu regaço a escutar
Bela harmonia que entoa.
Do teu coração que encanta,
Canto em voz de querubim,
Celestial serafim
Ouço-lhe a voz que me espanta
Dum anjo tão lindo assim.
Canto do teu coração,
Num lindo poema de musa,
Voz de sereia difusa:
Chamamento à perdição
Àquele que os sete mares cruza.
Faz-me cair no sossego
Deitado no teu regaço
À carícia desse abraço
Que me dás e onde me apego.
Corro o mundo num só passo.
Rosa tão branca, açucena,
Cada pétala de ti é céu,
Cada riso é amor meu,
Cada sopro é brisa amena
Que me envolve em fino véu.
Aqui deitado ao teu colo
Não sei se dormir consigo
Receando esse perigo
De te perder, desconsolo,
Nem sequer sonhar contigo.

Sobre Sérgio O. Marques

Licenciado em Física/Matemática Aplicada (Astronomia) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Mestre em Matemática Aplicada pela mesma instituição, desenvolvo trabalho no PTC (Porto Technical Centre) - Yazaki como Administrador de bases-de-dados. Dentro o meu leque de interesses encontram-se todos os temas afins às disciplinas de Matemática, Física e Astronomia. Porém, como entusiasta, interesso-me por temas relacionados com electrónica, poesia, música e fotografia.
Esta entrada foi publicada em Poemas. ligação permanente.

Uma resposta a Aninhado ao teu colo

  1. Júlia diz:

    Um lindo poema muito romântico.Um abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s