Voa

Uma borboleta duma mão aberta,
Branca palma
Voa liberta,
Bela, calma,
Serena no prado florido.
Voa com sussurros do vento
Como a alma
Cheia de alento,
Como um anjo divertido.
Um beijo meu
Voa do coração
Procura um sorriso teu
Amor, paixão
Voa alto como o céu
E a borboleta que voa.
Beijo teu
No meu peito toa,
Canção que eterneceu
Desejo meu
Que no céu trovoa.
Uma borboleta voa
Do meu peito à tua espera
Esperando encontrar o teu,
Doce quimera
Ao encontro dos meus lábios.
Voa o meu pensamento
Como pássaros
À forma bela de ti,
Beleza do firmamento
Em outros sítios, outro tempo,
Agora, aqui.

Sobre Sérgio O. Marques

Licenciado em Física/Matemática Aplicada (Astronomia) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Mestre em Matemática Aplicada pela mesma instituição, desenvolvo trabalho no PTC (Porto Technical Centre) - Yazaki como Administrador de bases-de-dados. Dentro o meu leque de interesses encontram-se todos os temas afins às disciplinas de Matemática, Física e Astronomia. Porém, como entusiasta, interesso-me por temas relacionados com electrónica, poesia, música e fotografia.
Esta entrada foi publicada em Poemas. ligação permanente.

Uma resposta a Voa

  1. Júlia diz:

    Lindo, Sérgio… que romântico…! Adorei.Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s