Descalço

Descalço, piso cascalho,
Depois de areia macia
Onde me perco e atrapalho,
Onde me firo em demasia.

Por um trilho gravilhado
Calcorreio o meu caminho.
Vou descalço e magoado
Contusão em que definho.

Neste imenso chão se encontram
Conchas pungentes tão belas
Não são elas que me aleijam
Sou eu quem me aleijo nelas.

Sobre Sérgio O. Marques

Licenciado em Física/Matemática Aplicada (Astronomia) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Mestre em Matemática Aplicada pela mesma instituição, desenvolvo trabalho no PTC (Porto Technical Centre) - Yazaki como Administrador de bases-de-dados. Dentro o meu leque de interesses encontram-se todos os temas afins às disciplinas de Matemática, Física e Astronomia. Porém, como entusiasta, interesso-me por temas relacionados com electrónica, poesia, música e fotografia.
Esta entrada foi publicada em Poemas. ligação permanente.

2 respostas a Descalço

  1. Sweet diz:

    LINDO POEMA AMIGO NÃO TE MAGOES NELAS EU TE AJUDAREI BJ……..

  2. Júlia diz:

    Que bela alegoria, Sérgio.Já começou o teu trabalho? Tens andado desaparecido.Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s