O furto

Num domingo de calor
Diz com voz esganiçada,
A esposa do doutor:
Que desgraça! Fui roubada!

Veio p’ra rua sem medo
Atumultuando o dia.
Transformou tanto sossego
Numa intensa algaravia.

Uns, imitavam cochichos
Com sussurros de opinião.
Outros, com seus mexericos
Eram os mestres da razão.

Quem roubou, ninguém sabia,
Mas, à laia de adivinha,
Toda a gente bem o dizia:
-Foi o filho da vizinha!

Morava ali mesmo ao lado
Um rapaz de mau vestir,
Sem emprego, sem cuidado,
Sem um chão onde cair.

Com um chapéu desbotado,
As calças rotas à frente
E o casaco tão rasgado
Lembrava um indigente.

A vizinhança alvitrava
Hipóteses sem fundamento
E o moço condenava
Sem cuidar de julgamento.

Somente ele era capaz
De um crime com malícia.
Para prender o rapaz
Mandaram vir a polícia.

Era sabido e experiente
O detective de serviço.
Pôs ordem naquela gente,
Acabou com o reboliço.

Fez perguntas, inquiriu,
Toda a gente interrogou.
Ninguém sabe, ninguém viu,
Quem o crime perpetrou.

Formulou com diligência,
Juntou factos, diligente.
Concluiu em evidência:
– O rapaz está inocente!

Encontrou na sua safra,
Uma prova concludente.
Descobriu o autor da farsa,
Um homem fino e decente.

Andava sempre de fato
E gravata a adornar.
Tinha um odor perfumado
E um sorriso de encantar.

Dizia ser professor,
O homem galante e cortês.
Afinal o tal senhor
Era ladrão de má rês.

O biltre que era ladrão
Enganou tantos espertos,
Deixou-os sem reacção,
Ficaram boquiabertos.

Sobre Sérgio O. Marques

Licenciado em Física/Matemática Aplicada (Astronomia) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Mestre em Matemática Aplicada pela mesma instituição, desenvolvo trabalho no PTC (Porto Technical Centre) - Yazaki como Administrador de bases-de-dados. Dentro o meu leque de interesses encontram-se todos os temas afins às disciplinas de Matemática, Física e Astronomia. Porém, como entusiasta, interesso-me por temas relacionados com electrónica, poesia, música e fotografia.
Esta entrada foi publicada em Poemas. ligação permanente.

3 respostas a O furto

  1. ☥ André Valente diz:

    Ai é que esta a pericia de um ladrão de qualidade :DPor vezes a aparência engana e muito!

  2. Júlia diz:

    «Sei que pareço um ladrão/Mas há muitos que eu conheço/Que não parecendo o que são/São aquilo que eu pareço»-António Aleixo.Bravo, Sérgio, muito bom o poema.Agora diz-me: onde ganhaste a taça que empunhas na foto?Olha, cheguei de umas férias mt curtinhas mas em Set. vou numas maiores (vou de 7 de Set a 5 de Out à Goa – India.Abraço

  3. Cláudia diz:

    Levemente divertido, mas sem dúvida transcreve a realidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s