Quadras de amor II

Vi lauta canção d’orvalho
Na fragrância da manhã.
Eram maçãs do teu rosto,
O arrebol duma romã.

O sol que se punha ao largo,
Corando, de rubro, o dia
Tinha a cor do teu sorriso,
Azul da tua alegria.

Uma bela borboleta
De flor em flor a voar,
Nas asas levava os olhos
Teus tão belos ao luar.

Bebi os favos de mel
E a fonte pura de água.
Só saudades do teu beijo
São sede da minha mágoa.

Cadentes, caíam estrelas
A brilhar rastos doirados.
Era a luz dos teus cabelos
Ao vento, esvoaçados.

As árvores bailam ligeiras
Num bailado meigo e mélico
Ao som do teu terno canto,
Sabor teu, doce e angélico.

Passam cerúleas as núvens
Brancas no céu de algodão,
Como os traços do teu jeito,
São formosa perfeição.

Sobre Sérgio O. Marques

Licenciado em Física/Matemática Aplicada (Astronomia) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Mestre em Matemática Aplicada pela mesma instituição, desenvolvo trabalho no PTC (Porto Technical Centre) - Yazaki como Administrador de bases-de-dados. Dentro o meu leque de interesses encontram-se todos os temas afins às disciplinas de Matemática, Física e Astronomia. Porém, como entusiasta, interesso-me por temas relacionados com electrónica, poesia, música e fotografia.
Esta entrada foi publicada em Poemas. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s